Athletico toma virada no último minuto e perde liderança do grupo G na Libertadores

Athletico toma virada no último minuto e perde liderança do grupo G na Libertadores Foto: Albari Rosa / Tribuna do Paraná
Em um jogo eletrizante na Argentina, o Athletico fechou sua participação na primeira fase da Taça Libertadores perdendo para o Boca Juniors por 2 a 1.
    Com o resultado, o Furacão terminou em segundo lugar no Grupo G com 9 pontos ganhos, dois a menos que o Boca Juniors que terminou como líder da chave.
    Desta forma, o Athletico vai para o pote 2 no sorteio que define os confrontos das oitavas de final da competição. O sorteio dos jogos acontece na próxima segunda-feira na sede da 
Conmebol.
    O time principal, comandado por Tiago Nunes, segue sem vencer fora de casa em 2019. Foram cinco jogos longe do torcedor, somando Brasileirão e Libertadores, com quatro derrotas e um empate. 
    Nos primeiros minutos de partida, o Boca apertou a saída de bola athleticana. Apesar da chuva que caiu antes do jogo começar, a bola conseguia rolar com regularidade no gramado de 
La Bombonera. Isso facilitou o toque de bola das duas equipes.
    A primeira boa chance do jogo veio com Mauro Zarate aos 08 minutos de partida após chute de fora da área. 
    O lance animou os xeneizes que chegaram outra vez três minutos mais tarde. Depois de cruzamento de Buffarini, Benedetto tentou concluir de letra, mas a bola parou no goleiro santos. Na sequência, Renan Lodi fez cruzamento pela esquerda que foi bem defendido pelo goleiro Andrada. 
    Aos 15 minutos, após cobrança de falta de Zárate, Benedetto fez cruzamento pela esquerda que encontrou o zagueiro Lopez na área. Para a sorte da torcida rubro-negra, o atleta do time da casa isolou o chute.
    Dois minutos depois, veio a resposta do Furacão. A jogada começou com Nikão que encontrou Marco Ruben. A tentativa de tabela com Lucho Gonzalez não deu certo. Na sequência, o lançamento pela esquerda encontrou Rony que arriscou de cabeça sem acertar o alvo.
    Enquanto pelo Boca, as melhores chances eram criadas pela direita com BUffarini, o Furacão apostava em lançamentos para o lateral Renan Lodi. A batalha entre os dois laterais foi a grande atração nesta primeira etapa.
    E foi pela faixa esquerda que o Furacão criou mais uma chance aos 29 minutos com Rony, mas o chute saiu fraco. No minuto seguinte, Marco Ruben conseguiu uma boa roubada de bola e lançou Nikão. Mas a bola foi bloqueada pela defesa argentina.
    A partir dos 30 minutos, o jogo começou a ficar truncado. Com 33 saíram os primeiros cartões amarelos. Emanuel Más pelo Boca e Nikão pelo Athletico. Três minutos depois, foi a 
vez de Izquierdoz levar o amarelo depois de entrada forte em Nikão.
    Quando as equipes resolveram jogar bola, Benedetto recebeu bom lançamento no setor direito. O chute cruzado acabou assustando o goleiro Santos. O atacante sentiu a perna esquerda depois do lance e acabou substituído por Ábila ainda aos 40 minutos da primeira etapa.
    No lance seguinte, foi a vez do Athletico chegar com perigo. Rony fez boa jogada individual pela esquerda e tocou para Lucho Gonzalez. O capitão da equipe acabou tentando colocar por cobertura, sem sucesso.
    A última tentativa do ataque xeneize foi aos 44 minutos em cabeçada de Almendra, bem defendida por Santos.
    A primeira boa chance do segundo tempo foi do Athletico. Com dois minutos, Nikão arriscou de longe obrigando Andrada a fazer boa defesa. Aos 7, Rony tentou jogada pela esquerda, mas 
foi impedido pela defesa argentina.
    O Boca tentava buscar o toque de bola, mas a defesa bem postada do Furacão fechava bem os espaços. Enquanto isso, o Athletico buscava mais o ataque, sempre pelo lado esquerdo. Em cruzamento de Renan Lodi, a bola bateu na mão do zagueiro argentino.
    Aos 14 minutos, Lucho Gonzalez deu lugar a Erick na primeira modificação proposta por Tiago Nunes na equipe. Mas foi nas costas do jogador athleticano que o Boca criou boa chance com toque de Ábila para chute forte de Mauro Zárate. Ele acertou a rede pelo lado de fora.
    O Boca também mudou peças para tentar melhorar o poder de fogo do ataque. Pavón entrou no lugar de Almendra. Com o jogo duro e o Athletico precisando impedir os ataques adversários, a defesa pegou mais pesado. Com isso, Léo Cittadini levou mais um cartão amarelo para o rubro-negro.
    Aos 20 minutos, após cobrança de falta de Nikão pela esquerda, Marco Ruben aproveitou de cabeça e abriu o placar para o Furacão. Silêncio na Bombonera, menos para 2 mil torcedores 
que vieram de Curitiba. Entre eles, no meio da galera, estava ninguém menos que Barcímio Sicupira.
    O Boca agiu rápido e colocou Tevez em campo logo depois do gol dos visitantes. A equipe argentina pressionou no ataque. Em cruzamento pela esquerda de Zárate, Lopes tocou sozinho e, em posição de impedimento, empatou a partida aos 27 minutos . 
   O gol animou os donos da casa que partiram para a pressão. Aos 29, Marcone chutou de fora da área e assustou o goleiro Santos. Dois minutos depois foi a vez de Zárate chutar forte para defesa de Santos. 
    O jogo cresceu em tensão e aos 34 minutos após entrada forte em cima de Tevez, Wellington foi expulso. Com um jogador a mais, o Boca partiu para o abafa. Aos 38, Izquierdoz  cabeceou em cima de Léo Pereira e a torcida reclamou de pênalti. No lance seguinte, foi a vez de Nandez ameaçar a meta paranaense.
    Aos 41 minutos o Boca chegou a ampliar. Buffarini cruzou para Nandez cabecear. Só que o jogador xeneize estava em posição irregular. 
    Nos minutos finais, os donos da casa tentaram pressionar na busca pelo gol da vitória. A pressão deu resultado e aos 49 minutos Tevez acertou belo chute de primeira de fora da área no área no canto direito de Santos.
Rate this item
(0 votes)

Deixe um comentário em nosso mural

Certifique-se de inserir todas as informações necessárias, indicadas por um asterisco (*). Código HTML não é permitido.